beteblog.amigos especiais

segunda-feira, 26 de maio de 2014

AMY CARMICHAEL- Biografia



FIGURA1

Amy Carmichael  nasceu o 16 de dezembro de 1867, na Irlanda do Norte. Era a mais velha de sete irmãos.

Amy gostava das cores e dos ruídos do mar, mas o que ela mais gostava era da cor azul. Sua mãe tinha os olhos de um azul profundo, e Amy começou então a desejar ter olhos azuis. Os seus eram castanhos. Ela pensava:

-Se eu tivesse os olhos azuis seria bem mais linda! Muito mais do que ter estes olhos comuns, de cor marrom!

A pequena Amy sempre tinha ouvido falar sobre o Filhos de Deus, o Senhor Jesus, e o Seu amor por ela. Sabia que Ele viera do céu à terra para morrer numa cruz por seus pecados e que Ele havia ressuscitado dos mortos. Amy ouvia isto a cada domingo, na igreja e também em sua própria casa, onde todas as noites havia culto doméstico, ocasião em que a família reunia-se para orar e ler a Bíblia.

“Deus responde as orações” Muitas vezes Amy tinha ouvido dizer isto. Pensando assim, Amy começou a orar para que os seus olhos se tornassem azuis. Uma noite Amy orou com muito fervor e fé. Ela não duvidou nem um pouquinho que o Senhor a responderia, porque “Deus sempre responde as orações”, como a sua mãe a ensinara. Assim pegou no sono.

De manhã, feliz, pulou da cama. Correu desesperada para no espelho.

FIGURA 2


Olhos azuis?! Não! Era o mesmo par de olhos castanhos que, agora tristonhos, refletiam-se no  espelho. Não havia acontecido nada! Deus não respondera a sua oração! Tinha orado tanto… tinha sido boazinha, crera em Deus com tanta fé e, assim mesmo Ele não lhe respondera dando olhos azuis! Por quê?

Enquanto ela choramingava desapontada com Deus, algo importante aconteceu. Ela entendeu claramente o Senhor dizer no seu coração: Amy, a resposta é Não! Deus a estava guiando, mesmo que ela não entendesse e fosse muito pequena. Ele tinha um plano para a sua vida.

Quando Amy se tornou uma jovem, ela viajou para a Índia, como missionária. Logo que chegou a àquele país, ficou ansiosa para aprender a língua indiana e assim poder falar às pessoas do Deus vivo que dera o Seu Filho para morrer numa cruz, por amor a elas. Amy queria falar da ressurreição de Jesus e dizer-lhes que, somente crendo no Salvador Jesus Cristo eles poderiam obter perdão dos pecados.  Amy tinha que se aproximar da cultura da Índia e não queria ser tratada como estrangeira. É que os estrangeiros eram proibidos de entrar nos templos e lugares de adoração pagãos. De falto a Índia era um lugar cheio de mistérios. Amy tinha certeza em seu coração que Deus lhe mostraria uma estratégia para evangelizar esse povo tão carente do amor de Jesus.

Após vários intentos Amy descobriu que ao passar pó de café no seu rosto e braços, a pele ficava morena, igual as das mulheres nativas. Para completar o disfarce, vestiu algumas roupas indianas, uma longa túnica branca de mangas curtas e um pano que cobria a cabeça.

Seus amigos missionários, ao verem-na vestida de indiana, disseram:

“ Você parece uma indiana mesmo!. É um ótimo disfarce!” Amy sorriu. Será que seu plano ousado funcionaria? Certamente ninguém desconfiaria do disfarce!

“É uma benção você ter olhos de cor castanhos e não ter nascido de olhos azuis como a sua mãe”, falou uma amiga. “Senão, você nunca passaria por uma mulher indiana!” disse a amiga sem saber de nada.

Olhos azuis? Repentinamente, Amy se lembrou da sua decepção quando criança. As lembranças ainda estavam bem vivas em sua mente. Ela se lembrou da resposta negativa do Senhor a sua petição de lhe dar olhos azuis. Agora entendia perfeitamente porque os seus olhos eram castanhos: ela iria precisar de olhos castanhos para o seu disfarce. De fato, Deus tinha dado a melhor resposta.  Amy sabia que uma estrangeira, de olhos azuis, não ousaria entrar no templo, mesmo tentando se disfarçar. Se tentasse estaria arriscando a sua vida. Mas Amy, com seus olhos castanhos, disfarçando a cor da pele e vestindo-se como indiana, não só poderia entrar como também descobrir alguns segredos religiosos da Índia.  Mas quais seriam estes segredos?

Foi disfarçada, e entrando nos templos da Índia que descobriu algo terrível, que era uma prática nessa cultura. Muitas crianças eram vendidas para os sacerdotes nos templos, para se casarem com ídolos de pedra. As crianças eram feitas prisioneiras, eram tiradas das suas casa e famílias para sempre! Como os ídolos eram de pedras, elas passavam a pertencer aos sacerdotes que cuidavam do templo, sendo as suas escravas! As inocentes crianças eram preparadas para uma vida de sofrimento, escravidão, pecado e violência. Crianças tratadas como animais selvagens! Amy encheu o coração de misericórdia, não parava de interceder e clamar por essas meninas e meninos! Deus colocara encargo por esses pequenos e por todas as crianças da Índia no coração de Amy.

Então começou o ministério de Amy na índia, o resgate dessas crianças dos templos e da escravidão do pecado.

FIGURA 3

Amy livrou centenas de crianças, as adotou e criou um lar em Dohnavur, um abrigo onde os pequenos encontravam amor e salvação. Também trabalhou na evangelização de mulheres,  escreveu livros e influenciou a vida religiosa e social de toda a Índia. Por sua causa, a escravidão das crianças em rituais pagãos naquele lugar foi proibida.

Amy morou por 55 anos na Índia e lá permaneceu todos esses anos  sem voltar para seu país de origem. O Senhor a chamou a sua presença aos  83 anos.

Amy, a menina que queria ter olhos azuis, aprendeu que Deus tem um plano perfeito para cada vida, e que o nosso aspecto exterior não é o que mais importa. Se não temos olhos azuis ou cabelo loiro ou alguma característica que achamos importante no nosso corpo, lembremos: Deus nos ama do jeito que somos e ele tem um plano para as nossas vidas se nos dispomos a serví-lo.  Devemos nos aceitar e amar do jeitinho que o Senhor nos fez!

Adaptaçao e ilustraçao Pra Gabriela Pache de Fiúza

Lindo trabalho em E.V.A. da minha amiga Alcy Paiva

Amo trabalhar com E.V.A, resolvi faz alguns Brasileirinhos para arrecadar recursos para despesas com evangelismo. quem quiser nos ajudar pode fazer seu pedido vou fazer tbm feminina... — em Goiânia.
AlcyPaiva  https://www.facebook.com/alcy.paiva.9?fref=photo








sexta-feira, 15 de março de 2013

quinta-feira, 7 de março de 2013

EVANGELIZANDO POR MEIO DAS MÃOS




Quero compartilhar com vcs meus irmãos, que trabalham evangelizando crianças, um meio útil de falar da mensagem de salvação, por meio da mão.

Usando a sua mão como um auxílio visual, comunique a maravilhosa Mensagem de Salvação.

DEDO POLEGAR - Deus me ama (João 3.16a; Jeremias 31.3), Deus me ama muito. Aponte o polegar para vc mesmo.

DEDO INDICADOR - Sou pecador (Romanos 3.23; Isaías 53.6), O pecado me separa de Deus.

DEDO MÉDIO - Jesus, o Filho Perfeito de Deus, morreu e ressuscitou por mim (1 Coríntios 15.3, 4; Isaías 53. 10, 11) Ele pagou pelo meu pecado.

DEDO ANELAR - Recebo o Senhor Jesus (João 3.16; João 1.12), Creio que Ele morreu por mim.

DEDO MÍNIMO - Sou Salvo (João 3.36; Gálatas 3.26), Sei que sou filho de Deus.

Nota: Ao usar a mão, trabalhamos a partir do polegar até o mínimo por que a distância entre o polegar e o indicador representa claramente a nossa separação de Deus.

Extraido:

Blog da Taty Amaral

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Clame o Nome de Jesus

O passado que Deus perdoou não existe mais. Vamos em frente? (Pão Diário)

"Atirarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar" (Miquéias 7:19b)



terça-feira, 28 de agosto de 2012

UMA IGREJA QUE SE PREOCUPA COM AS CRIANÇAS

UMA IGREJA QUE SE PREOCUPA COM AS CRIANÇAS

Pr Ronan Boechat de Amorim



Uma igreja que se preocupa com as crianças é uma Igreja que se importa com o seu presente e que se preocupa com o seu futuro. As crianças são o futuro da Igreja, sim; mas também são o presente da Igreja. Elas adornam, animam e são parte viva do Corpo de Cristo. O louvor da boca dos pequeninos é maravilhoso! Os testemunhos muitas das vezes trazem o pai, a mãe e não raramente toda a família para Jesus e para a Comunidade do Povo de Deus!



É o que ensinamos hoje às nossas crianças com nossas palavras e sobretudo com nossa conduta e testemunho, que vai marcar que tipo de pessoa, cristão e Igreja elas serão. O futuro se constrói agora. E pelo nosso trabalho e cuidado com nossas crianças podemos ter uma idéia do tipo de Igreja que somos e do tipo de Igreja que seremos amanhã.



Por isso é muito importante que nossa Igreja cuide ainda mais de nossas crianças. Cuidar, amando; cuidar, acolhendo; cuidar, educando; cuidar, disciplinando e corrigindo; cuidar, estimulando e apoiando. Ser as Mãos de Deus que orientam o crescimento delas em estatura, sabedoria e graça Divina.



Não só as pertencentes à comunidade da fé, mas a todas as crianças que tivermos acesso e às quais, em nome e no poder de Deus, pudermos fazer o bem. Quem sabe começando pelas crianças que vivem na comunidade (ruas próximas, bairro, região, cidade, etc...) onde a nossa Igreja está localizada, inserida.



Precisamos abrir o templo e todas as nossas dependências para prestar serviços à comunidade em nossa volta, à todas as crianças. Esses desafios devem ser do pastor(a) e da liderança, mas devem ser sobretudo desafios de toda a Igreja de Jesus. De cada Grupo Societário, de cada Ministério, de cada pessoa. Ninguém pode afirmar que esse problema não afeta sua área de ação ou que não lhe diz respeito. Todos devem se envolver!

                                                                                                                    
Agindo em favor das crianças e também de sua família, estaremos realmente trabalhando em favor da extensão do Reino de Deus. Assumindo a causa das crianças estaremos trabalhando em favor de um mundo melhor, em favor da própria Igreja; estaremos, enfim, assumindo e trabalhando em prol do Reino de Deus, a causa de Cristo.
 
 Imagens tiradas da net

Qual é a criança que ama alguém que a despreza?

Deixai vir a mim os meninos, e não os impeçais, porque dos tais é o reino de Deus" (Lc 18.16).


O Mestre sabia que impedir as crianças de ter acesso a ele seria o mesmo que ignorar a importância delas para o reino de Deus. Imagine o leitor: ser membro de uma igreja e não poder se aproximar do pastor para uma conversa!
Qual é a criança que ama alguém que a despreza?


Como uma criança sentirá prazer em ir a um lugar onde é excluída?
Será que esta pergunta não deveria ser feita para alguns ministérios evangélicos?

Pode parecer contraditório, mas quando algumas igrejas promovem as nomeadas "programações da família", os pais recebem orientação para deixar seus filhos em casa com a avó, com a vizinha ou com uma irmã, para que a programação saia como planejada, da melhor forma possível.Perguntamos: "Será que tais programações são realmente direcionadas à família?".

Os filhos fazem parte da família

São "personagens" principais e não coadjuvantes. São bênçãos e não maldição. Devem estar sempre presentes nas programações para que saibam que têm lugar na família de Deus, que é a igreja.

Não entendo que as crianças devem fazer parte de todas as programações, mas que deveriam participar de algum tipo de atividade na maioria delas.

Se a igreja promover uma programação específica para casais, por exemplo, é recomendável que procure a ajuda dos professores do ministério infantil para elaborar algo voltado para os filhos dos casais participantes.


Existem igrejas que possuem estrutura predial ampla e adequada para o oferecimento de trabalhos com as crianças, mas, infelizmente, não têm o objetivo de evangelizá-las.

Certa vez, perguntaram-me porque as crianças são tratadas dessa forma. Não demorei a responder: "Existem igrejas que não têm programações para as crianças porque elas não são dizimistas ou empresárias e não podem participar de algumas campanhas ‘desafiadoras’".

Os líderes dessas igrejas não têm interesse em promover programações para quem apenas dá "prejuízo" aos caixas eclesiásticos.

Reconhecemos que muitas igrejas investem nas crianças, fazem evangelização em escolas, nas creches e nas ruas, demonstrando o verdadeiro amor que Jesus tem para com os pequeninos.

Preparam os seus professores e investem em cursos especializados para a evangelização das crianças. Entretanto, essa iniciativa é rara.

Pense nisso neste dia das crianças....

Autor: Pastor Alexandre Farias

Imagens acima:

Igreja Presbiteriana de Guarabira

Fé em Acão




terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Feliz 2012

Agradeço a Deus pela vida de cada um que esteve nesse blog, e que as bençãos de Deus estejam sobre vocês nesse novo ano. Muito obrigada por tudo, e sejam sempre bem vindos aqui. Todos moram em meu coração. Aguardo vocês também na minha página no facebook "Tesouros da Alma".
Beijos, Bete

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

Quero desejara a todos os amigos, um Feliz Natal!!
O maior presente que Deus poderia nos dar; seu Filho Jesus. Nasceu em uma manjedoura, mas é Rei dos reis e Senhor dos Senhores. Foi excluído, mas nos incluíu em se Reino de Amor.


Visite minha página no facebook: Tesouros da Alma

segunda-feira, 17 de outubro de 2011